Dehonianos
Artigos
15.Set - A cruz dehoniana - História
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
A cruz dehoniana - História



Os Dehonianos, como são conhecidos os Padres e Irmãos pertencentes à Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (SCJ), são reconhecidos por usarem uma cruz um pouco diferente, chamada Cruz Dehoniana. Trata-se de uma cruz quase equilátera, ou seja, possui os quatro lados quase iguais com um coração vasado no meio. Mas qual a origem e o significado dessa cruz?



As origens na Alemanha
Anos atrás, P. Heiner Wilmer, escreveu um artigo explicando as origens alemãs da “Cruz Dehoniana”. Em 1978 a província alemã, por ocasião do centenário da Congregação, fez uma celebração com a juventude no Colégio Leoninum, em Handrup, cidade que fica no norte da Alemanha. Também foram convidados para essa festa os alunos do Colégio de Stegen que fica no sul da Alemanha. Nesse mesmo ano já se programava uma festa com a juventude no ano seguinte, no Colégio São Sebastião em Stegen, para comemorar os 50 anos do Colégio. Por isso, os jovens do Colégio São Sebastião foram convidados a criar um logo a partir da frase “só se vê bem com o coração”, citação do livro “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry. O ganhador do concurso foi o jovem Martin Hättick, de Sankt Märgen. Seu logo era uma cruz quase equilátera, com as bordas quase arredondadas e um coração vasado no meio. A partir daí, a “cruz com um coração vasado” do jovem Martin não só se tornou o logo da Festa da Juventude como também foi assumida por muitas províncias dos Padres do Sagrado Coração de Jesus como um símbolo de uso cotidiano, até ser assumida por toda a Congregação.



A cruz dehoniana no Brasil
Um dos maiores divulgadores dessa cruz foi Pe. Zezinho, sacerdote brasileiro que naquele período estava na Alemanha e participou da Festa da Juventude em Stegen. Ao retornar ao Brasil, Pe. Zezinho pediu autorização para usar e divulgar a Cruz Dehoniana. Por isso, ainda hoje, em muitos lugares do Brasil essa cruz é conhecida como “a cruz do Padre Zezinho”.



Os significados da cruz dehoniana
Aos poucos, vários significados sobre a Cruz Dehoniana foram descobertos, mostrando assim a fecundidade do símbolo. O próprio Pe. Zezinho costuma dizer que o coração é vasado porque já não está na cruz, mas no povo, pois Jesus nos deu seu coração. Sobre a forma arredondada da cruz, na linguagem de Pe. Zezinho, significa que é o carisma dos dehonianos é “suavizar cruzes”. A missão confiada aos dehonianos é suavizar da cruz dos sofredores. Isto é, fazer reparação.



Originalmente, essa cruz expressa duas prioridades da vida cristã. A primeira tem relação com o contexto da elaboração da cruz, que tinha como objetivo expressar o tema proposto “só se vê bem com o coração”. Em um mundo materialista e racionalista, onde o conhecimento através das ciências exatas determina o pensamento e ação do ser humano, a imagem da cruz com um grande coração aberto no centro chama a atenção para a antiga ideia bíblica de que o coração é a sede do conhecimento e das grandes decisões. O coração representa a sabedoria, que não é somente a inteligência, mas uma síntese entre razão e sentimento. Trata-se da sabedoria de Deus.



A segunda prioridade está relacionada à cruz que tem o coração. Nesse símbolo vemos o sofrimento de Cristo e reconhecemos o seu amor pela humanidade. A cruz é realista porque apresenta o sofrimento da vida do ser humano, mas não paramos no sofrimento. Descobrimos o amor oferecido por Deus através de Jesus Cristo “que me amou e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2,20). De modo que Cruz e amor estão juntos, ou seja, “não há maior amor que dar a vida por seus amigos” (Jo 15,13).



O carisma dehoniano
As interpretações dessa cruz sempre estão diretamente ligadas à espiritualidade dehoniana. Padre Dehon descobriu que no lado aberto de Jesus se encontra a expressão mais evocadora do amor de Deus por nós. E por amor aceita a morte como dom supremo de sua vida em favor dos homens. Padre Dehon também compreende que o pecado é abandono do amor de Cristo e a causa mais profunda da miséria humana. Por isso, Padre Dehon promove um intenso apostolado, onde une a sua vida à de Cristo, e nessa oblação se dedica às pessoas, especialmente os mais indefesos. Essa entrega de si se concentra no Sacrifício Eucarístico, de modo que sua vida se transforma em uma perene missa.



Assim, a Cruz Dehoniana está intimamente relacionada ao carisma dehoniano, que é um carisma de amor que se converte em oblação e reparação. O dehoniano é alguém que tem sempre um coração aberto e está disposto a esvaziar-se de si a serviço da Igreja. A oblação, elemento central do carisma dehoniano se converte disponibilidade. Por isso, a cruz tem um coração aberto, referência ao coração transpassado de Jesus e ao coração disponível dos dehonianos.



Por outro lado, a Cruz Dehoniana lembra o segundo elemento vital do carisma dehoniano, a reparação. Por isso, ela tem as arestas suavizadas. Isto é foram polidas e reparadas. Assim, se o amor oblativo é a primeira dimensão da Cruz Dehoniana, a reparação – consertar, curar, libertar, restaurar – é a segunda dimensão. O dehoniano é chamado a, unindo-se a Jesus na cruz, reparar as feridas do coração humano. Ser uma pessoa de coração aberto e solidário para reparar a cruz do irmão. Isso é ser dehoniano!



Fr. Rafael Vieira, SCJ


 


Indique a um amigo
 

Copyright © 2019 Dehonianos. Todos os direitos reservados.