Escola SCJ de Formadores de Roma em peregrinação…

Escola SCJ de Formadores de Roma em peregrinação…

Nosso destino era fazer o “Caminho das Fontes”, ou seja, conhecer os lugares onde Padre Dehon viveu e fundou nossa Congregação. Éramos dezenove peregrinos. Dezessete do grupo de formadores, Pe. Fenando Fonseca, responsável pelo grupo e pelo retiro, e Pe. Mário Marcelo, que faz doutorado em Roma e foi testemunha ocular dessa viagem.

Passamos a primeira noite em Albissola, ainda na Itália, quase na fronteira com a França, no Centro de Espiritualidade de nossos padres. Na manhã seguinte, celebramos a missa no Santuário Madonna della Pace, e continuamos nossa viagem.
Nosso dia foi intenso, passamos por ArsClunyTaizé. Um dia para ficar sempre em nossos corações.
Chegamos na pequena cidade de Paray le Monial, pequena mas imensamente importante para a espiritualidade do Coração de Jesus, onde ficamos por duas noites.
Sabemos o quanto esse lugar foi caro ao Pe. Dehon. Tivemos a oportunidade conhecer, com calma, a Basílica do Sagrado Coração, a Capela de São Cláudio Colombiere e celebramos uma missa na Capela da Visitação, ao lado do corpo de Santa Margarida Maria. O tempo frio e chuvoso nos ajudou a rezar.
Deixamos a bela cidade de Paray le Monial e fomos para São Quintino, com direito a uma pequena parada em Reims, onde visitamos a bela Catedral de Notre Dame.
Em São Quintino fomos recebidos pelos confrades dehonianos e, depois do jantar, fizemos um momento de oração diante do túmulo de Padre Dehon.
Talvez foi um dos momentos mais forte para todos nós. Antes de deixar Paray le Monial, compramos um buquê de flores para levar ao Padre Dehon. Flores compradas na cidade do Coração de Jesus e depositadas depois no túmulo do Padre Dehon. Mas antes de oferecermos as flores, cada um de nós fez uma pequena oração, um agradecimento pela vocação dehoniana, pela congregação, por esse momento. Cada um pôde falar na sua própria língua, dando a esse momento um toque da nossa internacionalidade. Ficamos dois dias em São Quintino, onde conhecemos os principais lugares onde Padre Dehon trabalhou e iniciou nossa Congregação. Foram momentos especiais, fizemos visita pela cidade, celebramos na Paróquia de São Martinho, ouvimos a partilha da experiência dos padres dehonianos que trabalham na paróquia, realizamos uma visita ao Santuário Notre Dame, em Liesse e à cidade de Laon. Depois dessa bela experiência em São Quintino, despedimos do Padre Dehon e partimos rumo à Paris.

Passamos um dia na Cidade Luz. Começamos pela Igreja de São Sulpício, Torre Eifel, Catedral de Notre Dame e Basílica do Sagrado Coração, no Montmartre, onde celebramos a missa e partimos rumo à La Capelle
A cidade natal de Pe. Dehon é pequena mas cheia de significados para todos nós, dehonianos. Ficamos na casa onde Pe. Dehon nasceu e tivemos tempo para descansar, rezar e olhar os lugares onde nosso fundador viveu. Ficamos um pouco mais dehonianos depois dessa parada. Nossa peregrinação está caminhando bem e estamos felizes.
Próxima parada foi em Buxelas, na Bélgica, onde celebramos a missa e almoçamos com nossos confrades e seguimos para Clairefontaine.
Aqui, nossa pausa foi mais longa e Pe. Fernando pregou para nós o retiro. Realizamos nosso retiro em silêncio, com pequenas colocações do Pe. Fernando e partilhas durante a missa. Foram três dias muito bem vividos. Foi o ápice de nossa viagem.
Despedimos da comunidade dehoniana em Clairefontaine e seguimos rumo àAlemanha. Paramos em TrierNeustadSpeyerWormsFreiburg. Nossos confrades dehonianos foram muito acolhedores e atenciosos conosco. Foram dias felizes e a convivência com os confrades nos deixou com a sensação de que realmente ser dehoniano é ser acolhedor.
Despedimos da Alemanha, entramos na Suíça, onde almoçamos em Lucerna, e voltamos para Itália. Em Capiago, celebramos a missa na bela capela de nossa casa de retiros, passamos a noite em Como e seguimos para Boccadirio, onde conhecemos nosso Santuário, almoçamos e voltamos para Roma.

Foram dezoito dias de muitas emoções, e assim terminamos o nosso curso de formadores. Temos a sensação de que conhecemos melhor o nosso fundador e que somos uma grande família dehoniana, espalhada pelo mundo todo, com diversas culturas, mas caminhando na mesma experiência de Amor feita pelo Pe. Dehon.

Pe. Djalma Lúcio M. Tuniz,scj

Compartilhe
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google Plus
  • Print
  • RSS

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados*