Fechar
Popup
 
 
Dehonianos
Fundador
 
Fundador

Leão João Dehon nasceu a 14 de março de 1843, em La Capelle, França. Seu pai era chamado Júlio Alexandre Dehon e sua mãe de Estefânia Adele Vandelet, devota do Coração de Jesus. Tinha um irmão mais velho com o nome de Henrique. Leão foi batizado no dia 24 de março do mesmo ano, véspera da festa da Anunciação.

Leão Dehon frequentou a escola da cidade, mas o ambiente não era favorável a uma boa educação. Por isso seus pais, preocupados com o futuro do filho, o matricularam no Colégio de Hazebrouck, dirigido por padres. Antes de seu ingresso nesse colégio, Leão fez sua primeira comunhão na cidade natal. No Colégio Hazebrouck, encontrou na pessoa de seu diretor, Padre Dehaene, um grande amigo que o orientou muito bem na luta pela conquista da virtude. Na noite de natal de 1856, Leão sentiu forte chamado ao sacerdócio. Conversou como pai a respeito, mas recebeu um não como resposta. Júlio sonhava um futuro brilhante e diferente para o filho, jamais permitira que ele se tornasse sacerdote.

Em agosto de 1859, Leão terminou seus estudos secundários e no dia 16 do mesmo mês passou com sucesso nos exames de bacharel em letras. De volta a La Capelle, expôs novamente seu projeto ao pai que não aceitava de forma alguma a ideia ousada do filho. Sem desistir de seu plano, Leão obedece momentaneamente a seu pai e vai para Paris. Frequenta o curso de preparação ao concurso da célebre Escola Politécnica DEA simultaneamente matricula-se no primeiro ano de direito. Mais tarde, abandona o curso de letras e segue normalmente o curso de direito, que lhe parecia mais de acordo com a sua cultura e sua sensibilidade. Em agosto de 1862, obtém a licença em direito e, dois anos mais tarde, em abril de 1864, defende a tese de doutorado em direito. Durante o período de estudo em Paris, Leão impôs-se um ritmo de vida que favorecia sua vocação sacerdotal.

Diariamente participava da missa em São Sulpicio, sua paróquia. Nesse tempo conheceu um jovem estudante de arqueologia, que se tornaria seu grande amigo: Leão Palustre. Com esse amigo, Dehon fez várias viagens: à Inglaterra (1862), à Alemanha, aos países escandinavos, à Europa Central (1863). A 23 de agosto de 1864, empreendeu com ele uma longa viagem de 10 meses pelo sul da Alemanha, Suíça, Norte da Itália, Grécia, Egito, Palestina(Terra Santa), Ásia Menor, Hungria e Áustria. No fim dessa viagem, Leão parte diretamente para Roma, onde chega a 14 de junho de 1865. Estava firmemente decidido a seguir sua vocação sacerdotal. A viagem à Terra Santa confirmara o chamado do Senhor: “Vem e segue-me! Também te farei pescador de homens!".

Em Roma, mora no colégio francês, Santa Clara, matricula-se no curso de filosofia e depois de um ano apenas, obtém o doutorado na matéria (1866). A 19 de dezembro de 1868, é ordenado sacerdote, na Basílica de São João de Latrão, na presença de seus pais, que aceitam agora a vocação do filho. Apesar de tudo, assumiu sua missão com todo ardor e entusiasmo.Conhecendo as grandes necessidades daquela cidade, Padre Dehon teve várias iniciativas de grande repercussão; fundou um patronato, São José (1872), a Obrados Círculos Católicos (1873); um jornal católico: Le Conservateur de L’Aisne(1874); círculos de estudos religiosos e sociais, com a Conferência de São Vicentede Paulo ( 1875); promoveu encontros de estudos com os patrões, duas vezes por mês (1876): o Colégio São João

Sacerdote, culto, santo e dinâmico, muito conhecido na França, Dehon tinha algo que o inquietava. Não estava satisfeito, faltava-lhe algo. Não tinha, porém,clareza o que era realmente. Depois de um longo discernimento, feito de oração, de diálogo com sábios sacerdotes e orientadores espirituais, Dehon toma a decisão de fundar a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Data oficial da fundação: 28 de junho de 1878, dia da primeira profissão do fundador.

Padre Dehon faleceu no dia 12 de agosto de 1925, aos 82 anos de idade.

 
 

Copyright © 2017 Dehonianos. Todos os direitos reservados.