Dehonianos
Quem Somos

A Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos) nasceu em 1878, em Saint-Quentin, França. O Fundador, Padre Leão Dehon, era então sacerdote da Diocese de Soissons, coadjutor da Paróquia de Saint-Quentin e diretor do Colégio São João.

Autorizado pelo Bispo diocesano, o Padre Dehon iniciou o noviciado e fez a Primeira Profissão a 28 de junho de 1978. A nova Congregação tomou o nome de Oblatos do Sagrado Coração. O Fundador sentia ter recebido a graça e a missão de enriquecer a Igreja com um novo Instituto religioso apostólico que vivesse o seu modo de traduzir o Evangelho e a sua experiência de fé (Cf. Const, 1). Os inícios foram difíceis e o Padre Dehon passou por diversas provações, que ele sempre soube acolher com humildade e grandeza de caráter, espírito de fé e de abandono aos desígnios de Deus. Em 1884 a Congregação, depois de algum tempo suprimida pela Santa Sé, renasceu com o nome oficial de Sacerdotes do Coração de Jesus.

Dez anos depois da fundação, os Dehonianos já eram cerca de 50, estando então a sua ação circunscrita à diocese de origem. 40 anos depois (1928), a Congregação já contava com aproximadamente 1.000 membros e com casas e obras em vários países da Europa e da América, da Ásia e da África. Em apenas trinta anos (1960), o número de Dehonianos havia triplicado (mais de 3000). Mas este apogeu coincidia, na Europa Ocidental e na América do Norte, com uma profunda mudança sociocultural, caraterizada pela secularização, pela procura de novos padrões de vida, pela diminuição da natalidade e o envelhecimento da população. Como consequência, notou-se uma redução significativa no número de entradas na Congregação. Depois dos anos 60, o eixo de gravitação sofreu um deslocamento da Congregação para o hemisfério sul e para oriente. Passados 138 anos da fundação da Congregação, esse deslocamento torna-se, hoje, ainda mais evidente. De facto, na Europa, a Congregação tem 879 membros, mas está em rápido processo de envelhecimento, escasseiam as vocações e a média de idade é de 62 anos. Na América do Norte o quadro é muito semelhante. Aí, a média de idade é de 67 anos. Por outro lado, no hemisfério sul, há mais de 1100 Dehonianos, com uma média de idade que anda à volta dos 44 anos.

A nível geral, a Congregação apresenta-se com bastante vitalidade. A média de idade da Congregação é de 52 anos. Dois terços dos membros estão na faixa entre os 20 e os 60 anos. O deslocamento da Congregação para o sul, não é apenas um dado geográfico e numérico. Trata-se de uma mudança sociocultural na Congregação e também na Igreja Católica.

A Congregação nasceu internacional. À morte do Padre Dehon (1925) estava já presente em mais de 20 países dos quatro continentes. Hoje estende-se a mais de 40 países. Inicialmente tudo se organizava em volta da Europa: a vida, o pensamento, a administração, os recursos humano. As presenças noutros continentes eram constituídas por missionários que íam da Europa. A nível da organização da Congregação, os territórios das missões eram considerados parte da Província-mãe da Europa. Só mais recentemente é que se tornaram entidades autónomas.

Estando no segundo século de existência, podemos dizer que o carisma Dehoniano continua atuante na Igreja, espalhando-se em diversas latitudes e atraindo jovens disposto a seguir o ideal de espalhar no mundo o Reino do Coração de Jesus. Nas últimas décadas este carisma herdado do Padre Dehon estendeu-se também aos leigos e a alguns institutos seculares que, juntamente com os religiosos da Congregação, constituem a Família Dehoniana.

Vamos agora percorrer os diversos continentes e apresentar brevemente a história da presença Dehoniana nos diversos países.

 
 

Copyright © 2017 Dehonianos. Todos os direitos reservados.