Dehonianos
Nossas Obras
 
mysql_result($vd,0,

Projeto MDJ

A Missão Dehoniana Juvenil é um projeto missionário da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Seu intuito é fazer dos jovens protagonistas da missão, no serviço de evangelização.
PROJETO MDJ - BRM
1. MEMÓRIA HISTÓRICA DO PROJETO DA MISSÃO DEHONIANA JUVENIL NA PROVÍNCIA BRM
Para a elaboração deste projeto da Missão Dehoniana Juvenil, pensamos partir de uma memória histórica acontecendo assim a continuidade e fidelidade dinâmica da presença e missão juvenil no sul do Brasil.
Destacamos que a MDJ surgiu na Argentina após a Jornada Mundial da Juventude ocorrida em Buenos Aires em 1987. Sentimos, portanto, um ardor para a continuidade deste trabalho em sintonia com a inspiração e o desafio missionário deixado pela última Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro em 2013.
A Missão Dehoniana Juvenil é um projeto pastoral que surgiu em algumas de nossas províncias dehonianas da América Latina. Semelhante ao que pensou Pe. Dehon em seu tempo propondo um trabalho de evangelização para os jovens e com os jovens na Igreja, a serviço do Reino de Deus.
Com a máxima de Pe. Dehon: “é preciso ir ao povo” este projeto proporciona experiências concretas de pastoral e de missão em nossas comunidades paroquiais. Muito tem contribuído para a vida de fé dos jovens que dele participam e das comunidades que acolheram este trabalho missionário.
O projeto da Missão Dehoniana Juvenil teve sua origem na Argentina já na década de 70, na região do Chaco Argentino. Ali se realizavam missões populares como forma de ir ao povo e de acompanhar pastoralmente aquelas comunidades.
Em meio a muitas precariedades como a pobreza, o abandono, o isolamento e longas distâncias se buscava viver a fé acompanhados pelos nossos padres e religiosos dehonianos que trabalhavam naquele país.
Grandes missionários como: Pe. Rodolfo Bonci, scj e Dom Marcelo Palentini, scj que depois se tornou Bispo no norte da Argentina, dentre outros que estiveram a frente deste trabalho e foram acompanhados por Dom VirgínioBressanelli, scj provincial argentino neste período. Este projeto missionário teve muito êxito e chegou posteriormente até o Chile, Uruguai e o Brasil.
A partir de 1987, a Província Brasil Meridional (que compreendia os estados da região sul, sudeste e centro-oeste do Brasil) passou a enviar alguns religiosos e padres todos os anos para a Argentina a fim de participarem do projeto e fazerem uma experiência concreta com a finalidade de instaurara inciativa em nossa província.
Os religiosos que participaram desta experiência na Argentina foram: Pe. João Selhorst, Pe. Francisco Alves, Fr. Francisco Lawal, Fr. Aurélio, Fr. Irineu Victor, Pe. José Everaldo, Pe. Darci Hermes e Pe. Irineu Brish.
Aqueles que participaram do projeto das Missões Juvenis na Argentina estavam realmente entusiasmados com o que sentiram e puderam experimentar nesta missão. Inflamados por esse entusiasmo no início de julho de 1990, foi idealizada uma carta encarte que foi enviada para os membros da então província BM, explicando o projeto concreto das Missões Juvenis no Brasil.
Nesta carta se informava que a primeira etapa da missão no Brasil iria ser realizada na cidade de Mondaí em Santa Catarina. Falava ainda da visita de alguns membros da equipe organizadora à cidade escolhida; sobre a realidade de Mondaí; os objetivos e o programa da missão; de algumas questões de ordem prática e um pedido encarecido para que as paróquias motivassem os seus jovens a criarem grupos que se preparassem para participar da Missão Dehoniana Juvenil.
Depois de alguns meses de preparação com o estudo dos boletins, aconteceu em Janeiro de 1990, com sucesso, a primeira etapa da MDJ em Mondaí.
Um total de treze comunidades missionadas e aproximadamente 620 famílias visitadas pelos. Desta primeira etapa participaram cinquenta e cinco missionários, sendo dezesseis missionários leigos, vinte e oito religiosos, nove padres e dois membros da Província Argentina.
A Missão Dehoniana Juvenil da BRM teve presença nas seguintes cidades:
• 1991-1993 – Mondaí – SC
• 1994-1996 – Corupá – SC
• 1997-1999 – Cruzeiro – Santa Rosa – RS
• 2000 – Jubileu – visita as primeiras comunidades missionadas (Mondai e Corupá) e celebração dos dez anos no Seminário de Corupá.
• 2001-2003 – Armazém – SC
• 2004- 2006 - Boa Vista do Buricá – RS
• 2007 – Ano de avaliação e revisão do projeto
• 2008-2009 – Botuverá- SC
• 2010 – Celebração dos 20 anos da MDJ em Rio Negrinho.
• 2011-2012 – Volta Grande – Rio Negrinho – SC
• 2013-2014 – Independência -RS
• 2015-2017 – Vidal Ramos - SC

2. OBJETIVO GERAL
Proporcionar ao jovem uma experiência eclesial, missionária e de fé inspirada no carisma dehoniano.
3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Favorecer uma experiência intensa de comunidade, partilha, serviço e testemunho a exemplo da primeira comunidade cristã. (At 2,42-47)
- Conhecer uma nova realidade eclesial e viver um intercâmbio recíproco de experiências de fé e vida.
- Vivenciar o mandato missionário de Jesus Cristo: Ide e fazei discípulos.
- Colocar em prática a expressão missionária do carisma dehoniano.
4. PROPOSTA DO PROJETO MDJ:
É importante a criação de regionais, para reunir, nuclear, formar e acompanhar os jovens dehonianos de nossas Paróquias, com uma coordenação regional constituída de jovens leigos e assistida por um religioso dehoniano. Assim Paróquias com mais dificuldades na organização dos jovens dehonianos ou jovens de paróquias seculares serão incentivadas pelas realidades circunvizinhas.
Estabelecemos os seguintes regionais: Cor Unum (Curitiba, São Bento do Sul, Rio Negrinho e Palmas). Ecce Ancilla (Jaraguá do Sul, Joinville e Corupá). Ecce Venio (Rio do Sul, Vidal Ramos, Armazém e São Martinho). AdveniatRegnumTuum (Brusque, Itajaí, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento). SintUnum (Crissiumal, Nova Candelária, Boa Vista do Buricá, Independência e Tuparendi).
Os regionais assumem a pré-missão, escolhendo uma realidade local para realização da mesma, preferencialmente no mês do Outubro. A pré-missão deve abordar realidades como a visitação das famílias, realização de um trabalho social, encontro com grupos pastorais ou da sociedade, além de se viver em comunidade e rezar juntos.
A idade mínima para participar da MDJ será de 17 anos e a máxima de 29 anos. E para a coordenação dos regionais de 23 a 29 anos.
A coordenação provincial da MDJ será composta pelos coordenadores regionais e pelos delegados do governo provincial.
Os grupos no período da missão serão os próprios regionais.
A MDJ será somente com os jovens.
O projeto piloto será realizado em três fases, uma fase a cada ano.
A participação dos fratres e seminaristas será muito importante sendo um testemunho da vivência dehoniana. Assim, estes devem ser conhecedores do Projeto e participarem por ato de vontade própria.
Os padres serão convidados a participar, se possível, nos seus respectivos regionais. Caberá ao Provincial articular o período de férias do padre. Assim, o período de missão deve ser um trabalho realizado na Província.
4.1 Plano de ação
O período de cada fase da missão deverá priorizar a vivência do Carisma Dehoniano nos respectivos grupos. A missão quer ser expressão do que já se vive nas paróquias e/ou comunidades religiosas.
Primeira fase: será um período de quinze dias onde os jovens dehonianos visitarão todas as famílias da comunidade paroquial, muito semelhante com o que já vinha acontecendo.
Esta fase terá a seguinte programação: Missa de abertura, retiro inicial de dois dias, visitas abordando o anúncio de Jesus Cristo (Kerigma) e vivência nos respectivos regionais, na metade da missão um dia de convivência entre os grupos (passeio, esporte, chinfrim) e no final a Missa de encerramento.
Segunda fase: será um período de dez dias e a ênfase desta fase estará na Doutrina Social da Igreja.
Será uma fase de visitas temáticas: escolas, empresas, hospitais, realidades necessitadas. Contará com ações concretas junto à comunidade, serviços, trabalhos voluntários, etc...
Os mesmos serão organizados durante o ano na vivência junto aos regionais. Esta fase terá a seguinte programação: Missa de abertura, um dia de formação, missão e serviço e a Missa de encerramento.
Terceira fase: será um período de quinze dias onde a ênfase estará na Igreja discípula-missionária.
Nesta fase se fará a visitas às famílias junto com missionários locais para que assim a comunidade paroquial se torne protagonistas da missão e deem continuidade ao projeto de ser uma Igreja em estado permanente de missão.
Além disso, se deve dar continuidade aos trabalhos sociais iniciados na fase anterior. A programação desta fase será a seguinte: Missa de abertura, dois dias de retiro, visita às família com os jovens da MDJ e os missionários da comunidade.
Na metade da missão um dia de convivência entre os grupos (passeio, esporte, chinfrim) e no final a Missa de encerramento.
4.2 Questões práticas
A eleição da comunidade paroquial a ser missionada ficará a cargo do governo provincial. Bem como a eleição e o convite para os religiosos e padres que irão participar do projeto.
Os grupos de missionários no período da missão serão estabelecidos a partir dos regionais.
O coordenador(a) do grupo de missão será o mesmo do regional de origem.
Cada grupo deverá ser acompanhado por um religioso dehoniano. Não necessariamente um sacerdote.
A pobreza deve ser um forte exercício da missão. Só se usará carro em caso de extrema necessidade e se viverá com o que a comunidade prover.
Promover um encontro da juventude dehoniana anual, em nível provincial e em uma data significativa dehoniana.
Ao final de cada fase se fará uma avaliação com os jovens missionários que participaram. Assim, se renovará o projeto MDJ a partir do que foi vivido como fortaleza e debilidade.

 
 

Copyright © 2018 Dehonianos. Todos os direitos reservados.