Fechar
Popup
 
 
Dehonianos

Seminário de Corupá

Em meados de julho de 1903, desembarcaram na ilha do Desterro, hoje Florianópolis, os dois primeiros padres da Congregação Sagrado Coração de Jesus, vindos da Alemanha: Padres Gabriel Jacó Lux e José Fidelis Foxius. Estes assumiram, de início, a igreja de São Francisco e a escola paroquial, além de ajudar na igreja matriz, cujo pároco era Pe. Francisco Xavier Topp. Essa atividade pastoral constituía, no entanto, um trabalho provisório, pois o objetivo da missão era a assistência espiritual às colônias alemãs.
Aos 20 de janeiro de 1904, vieram mais três missionários: Padres Henrique Meller, João Stolte e Irmão Rafael Küppers. Por um decreto de 1904, Dom Duarte Leopoldo e Silva, bispo da Diocese de Curitiba (que, então, abrangia os Estados do Paraná e de Santa Catarina), confiou à Congregação as paróquias de São Luiz Gonzaga, em Brusque, e do Puríssimo Coração de Maria, em São Bento do Sul. Ainda em 31 de Dezembro do mesmo ano, chegaram da Alemanha os Padres Henrique Lindgens, Francisco Schüler e Antônio Wollmeier.
Com a chegada de mais padres SCJ, foram assumidas novas paróquias em Santa Catarina. Entre elas: Itajaí (1905 – 1918), Trindade, em Florianópolis (1909 – 1918), Jaraguá do Sul (1912), Tubarão (1912 – 1954), Botuverá (1912), Joinville (1917), Vargem do Cedro (1921).

O SEMINÁRIO DE BRUSQUE
Brusque tornou-se o centro da missão dos padres do Sagrado Coração de Jesus, tendo como supervisor e organizador da obra Pe. Gabriel Lux. A nascente região missionária correspondente a sua missão no Brasil e atendendo as desejos do fundador, passou a recrutar vocações nas próprias paróquias onde trabalhavam, com um bom número de vocações tornou-se viável a fundação de uma Escola Apostólica na cidade de Brusque. Assim, foi fundado em 1924 o Colégio Sagrado Coração de Jesus pelo Pe. Germano Brand. Em poucos anos de funcionamento o modesto colégio, com capacidade para 30 seminaristas, já não comportava os pedidos de admissão que cresciam dia-a-dia. Não sendo possível o aumento da construção, visto estar sediada em um terreno que não pertencia à Congregação e muito irregular, partiu-se para outras possibilidades.

UM NOVO SEMINÁRIO: A ESCOLHA DO LOCAL
Devido a necessidade da construção de um novo seminário, surgiram várias propostas:
• Taubaté (São Paulo);
• Forquilhinha (sul de Santa Catarina);
• Duas opções em Jaraguá do Sul (Santa Catarina):
1. Terreno localizado na altura do Curtume Schmidt;
2. Terreno na comunidade de Hansa Humboldt.
O Superior da época Pe. Pedro Storms optou pela última proposta: o terreno em Hansa Humboldt doada pela comunidade católica representada pelos Srs. Adolfo Baeumle, José Mueller e Guilherme Thiemann, que em troca do terreno solicitaram os serviços permanentes de um padre, sendo designado para tal função o Pe. Vicente Schmitz.

O SEMINÁRIO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS EM CORUPÁ
Para planejamento e execução da obra foi escolhido o competente
engenheiro Pe. Gabriel Lux, a parte financeira ficou a cargo do Pe. Pascoal Lacroix, que junto às populações de São Paulo e Rio de Janeiro angariou fundos para a execução da obra.

A CONSTRUÇÃO:
• Em 16 de fevereiro de 1927 D. Joaquim Domingues de Oliveira autoriza a transferência do Colégio Sagrado Coração de Jesus de Brusque para Hansa
Humboldt, podendo então ser iniciada a obra.
• Em 1928 já havia sido feita a derrubada da vegetação, a terraplanagem do terreno e iniciadas as escavações para o fundamento.
• Em 07 de setembro de 1929, quando a construção já atingia metade da altura da parte térrea, foi realizada a cerimônia da benção solene da pedra fundamental presidida pelo bispo de Joinville D. Pio de Freitas. Uma placa referente ao ano de 1929 foi colocada e se encontra até hoje na altura em que estavam as paredes no momento da benção da pedra fundamental.
• A crise econômica de 1929- 1930 bem como a ”Revolução de 30” retardaram o andamento da obra, mas as dificuldades foram contornadas, e pouco a pouco a construção foi ganhando forma.
• Ao final do ano 1931, a nova Escola Apostólica já estava pronta e chegavam os primeiros padres que nela residiriam.
• Em 17 de janeiro de 1932 aconteceu a inauguração do novo seminário com
festa popular.

FORMAÇÃO:
A Escola Apostólica Sagrado Coração de Jesus enquanto casa de formação funcionava da seguinte maneira:
• Estabelecimento de curso seminarístico, destinado à formação de ministros católicos, subordinado à Autoridade Religiosa e Eclesiástica.
• Escola particular, adotando o regime de internato;
• A finalidade primordial é a formação de bons cristãos, líderes católicos e futuros padres;
• Funcionando em regime integral, além das cinco aulas diárias, inclusive aos sábados, a escola ocupa seus integrantes em salas de estudos, quando necessário dirigido, a fim de que seus alunos, para o futuro, estejam aptos às finalidades propostas;
• Assim, os seminaristas eram orientados para diversas práticas espirituais, culturais, recreativas e trabalhos externos nos mais diversos ramos.

FUNCIONOU:
• 1932 – 1967: funcionou o 1° e o 2° Grau;
• 1967 – 1996: funcionou apenas o 1° Grau. Transferência do 2° grau para Rio
Negrinho e mais tarde para Curitiba;
• 1972: também a 5ª série do 1° grau foi supressa da escola, sendo cursado
aqui apenas a 6 ª, a 7 ª e a 8 ª série do 1° Grau;
• 1994: supressa a 6ª série do 1° Grau, pensando-se no retorno do 2° Grau;
• 1996: retorno do 2° Grau.
• 2001: transferência do 2º Grau para o Seminário São José de Rio Negrinho;
• 2002: Inicio do Propedêutico;
• 2012: fim da formação no Seminário

AMPLIAÇÕES NO PRÉDIO:
1. 17 de janeiro de 1932: Inauguração da primeira Ala;
2. 1935: Inauguração da ala das Irmãs. Que surgiu da necessidade de construir uma ala para residência das Irmãs, que faziam o trabalho árduo da cozinha e lavanderia e desde 1932 moravam numa casa próxima ao seminário.
3. 19 de março de 1946: Inauguração da última parte da planta de Pe. Gabriel Lux (Fachada gótica-romana/ de tijolo a vista);
4. 1951: inicia-se a construção de uma nova ala com salões de estudo e dormitórios (espaço atual do museu);
5. 1953: inaugurada a ala iniciada em 1951. Iniciada a construção da nova capela pelo Pe. Antônio Echemeyer
6. 1956: Conclusão da obra da nova capela. Inauguração do Salão de Teatro.
7. 1964: surge a necessidade de construção de novas instalações, como cozinha, lavanderia, salas de aula e dormitórios.
8. 31/03/1967: inaugurada a nova ala.
9. 1968: iniciada a construção do Salão de Jogos Padre Fernando Suedbeck e inaugurada em 1969. (atual espaço do restaurante)
10. 09/12/1974: entregue ao uso a última ala construída com novas instalações sanitárias, biblioteca e uma espaçosa sala de aula.
11. 13/08/1976: Inaugurada o conjunto das quadras cimentadas de futebol e vôlei.

O Seminário, em suas áreas externas, é aberto diariamente para visitação, das 8h as 18h.

 
 
 
 
MAIS FOTOS
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
  • Dehonianos
 
 
Local e Contato

Rua Padre Gabriel Lux, 900 - Seminário - Corupá/SC
(47) 3375-1194

 
 
 

Copyright © 2017 Dehonianos. Todos os direitos reservados.