Dehonianos
Artigos
23.Mai - Respira Fundo...Sou Dehoniano!
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Respira Fundo...Sou Dehoniano!

Aconteceu na Casa Padre Dehon, nos dias 23 e 24 de abril, o retiro dos Leigos Dehonianos da Província BRM. O tema “Com Coração e Mente Abertos”, foi abordado pelo pregador Pe. Anísio José, scj, que nos levou a refletir sobre o privilégio de estarmos reunidos, sobre a importância do ouvir, do silenciar, da Palavra e do Ser Dehoniano.


“Em um retiro, Deus pode mudar a minha vida, se eu deixar”(A.d). Foi com essa frase que Pe. Anísio abriu a reflexão na Celebração Eucarística de sábado, dia 23 de abril.


No momento da partilha, logo após o almoço, em grupos menores, os leigos socializaram suas experiências sobre os tempos de pandemia. Foram dois anos sem retiro (2020 e 2021), sem encontros presenciais, anos difíceis com a falta da vivência em comunidade, como eles próprios relataram. Porém, tempos que nos levaram a refletir acerca da importância de estar em família, de aprender a sermos pacientes, amadurecer a nossa fé. Tempo de mais oração. “Para tempos novos, obras novas.” (Pe. Dehon)


A partir da reflexão da leitura de Lucas 4, 42-44, o pregador nos apresentou formas diversas de “confusões”: no tempo de Jesus, na época de Padre Dehon, no nosso tempo e em nossa vida. Por confusão compreende-se a falta de entendimento, quando o indivíduo responde de forma inadequada ao que lhe é proposto. Na época de Jesus, os discípulos talvez não estavam entendendo o projeto do Mestre. E nós, muitas vezes, também não compreendemos. É preciso, portanto, pedir o Espírito da Sabedoria, colocar-se na presença de Deus. No tempo de Padre Dehon, com o advento da indústria e todas as suas consequências, não somente sociais, mas também históricas, morais e econômicas; surgem homens de pensamento e ação que tentaram apaziguar essa época de confusão e conflitos. Dehon, por exemplo, tinha relações de amizade com o operário e o patrão, para ter o entendimento de ambos os lados, para promover o diálogo.


Ser dehoniano é aprender com as ações de nosso fundador. Ser dehoniano é ser do entendimento, é ser da Bíblia, mas também do jornal; da Eucaristia e da carestia; do espiritual, do intelectual e do social. O dehoniano, em situações confusas, deve ser o agente promotor do diálogo, para ouvir as várias partes, refletir e então agir. A sociedade globalizada está cada vez mais próxima pelas redes sociais, mas vive às sombras de um mundo fechado em que os interesses individuais estão acima de tudo. O dehoniano é aquele que faz a ponte, é aquele que lembra que Deus «criou todos os seres humanos iguais nos direitos, nos deveres e na dignidade, e os chamou a conviver entre si como irmãos» (in Fratelli Tutti). Numa época em que a família muitas vezes é sinônimo de pensão, o dehoniano cria momentos para estar junto à família, no lazer, nas refeições, na oração.


Após estas alocuções, para o momento da reflexão pessoal, fomos apresentados à indagação: como leigo dehoniano, na minha vida, como eu estou hoje? Consigo dialogar com o diferente? Como posso melhorar? Após a reflexão, o pregador nos encorajou a estarmos sempre com o CORAÇÃO ABERTO, deixar que a graça de Deus aja em nós. Do coração de Cristo brotou sangue e água (João 19, 31-37). A água que brotou do coração deve ser nossa salvação. Ser dehoniano é ter o coração sensível aos problemas do mundo, é solidarizar-se, preocupar-se com a realidade, ter o jornal aberto. O dehoniano procura colocar-se no lugar do outro.


No domingo, segundo dia do retiro, com olhar dehoniano, lemos a passagem dos discípulos de Emaús (Lucas 24, 13-35). Enquanto caminhamos, o Senhor se revela. É preciso MENTE ABERTA. A revelação se dá na Eucaristia, quando a mente e o coração se abrem. O Senhor abre nossa mente e coração, se eu deixar!


Por vezes, temos a mente e o coração fechados, somos tardios de inteligência ou reclamamos demais. Mas enquanto Jesus explica as escrituras e enquanto nós temos formação, as ideias vão aclarando. É preciso ser curioso, prestar atenção para não apenas reproduzir as informações. O olhar crítico tem tudo a ver com o carisma dehoniano.


Portanto, cabe a nós, toda Família Dehoniana, darmos o bom testemunho da nossa fraternidade. Sermos pontes, manter o equilíbrio, estarmos juntos na alegria e na tristeza. Viver e testemunhar o Vertical e o Horizontal (Cruz): Amor & Verdade; Bíblia & Jornal; Transfigurado & Desfigurado; Prece & Praça; Eucaristia & Carestia; Operário & Patrão; Céu & Terra.


Além da pregação, houve momentos marcantes no retiro. A calorosa acolhida com música e alegria; a carinhosa preparação e condução dos grupos locais nas celebrações comunitárias, como as Coroas de Amor ao Sagrado Coração de Jesus; o Terço Mariano; a Oração da Noite e da Manhã de domingo; a Celebração Eucarística no início e encerramento do retiro. E para um momento de lazer e confraternização, no sábado à noite, realizamos na forma musical, lúdica e descontraída, um quiz cujo conteúdo foram temas sobre a congregação, Padre Dehon e a vinda do Superior Geral. Foi uma maneira encontrada para avivar a convivência e aproximar os leigos dehonianos através da alegria que contagiou o ambiente.


Agradecemos à Comunidade Religiosa da Casa Pe. Dehon e aos padres que nos visitaram durante o retiro, Pe. Tito, Pe. Paulo, Pe. Diomar e Pe. Mário. De forma especial, ao Pe. Zaqueu, nosso assessor espiritual. À equipe de música e animação, Emiliano, os seminaristas Márcio e Pedro Henrique, nosso muito obrigado. Às cozinheiras, que com tanto amor e capricho, doaram seu tempo na preparação das refeições.


Ao Pe. Sildo, nosso Superior Provincial, muito obrigado pela presença, pelas palavras na celebração Eucarística que encerrou o retiro. Ao pregador Pe. Anísio, nossa gratidão pela disponibilidade e que tão bem conduziu o tema.


Gratidão especial aos 58 leigos dehonianos participantes, dentre os quais, 11 novos integrantes. Nosso agradecimento também, aos párocos, religiosos e demais leigos, que estiveram sintonizados e ajudaram para o bom êxito do retiro. Ao setor do Rio Grande do Sul, que se prepara para receber o retiro no segundo semestre, que o Sagrado Coração de Jesus derrame suas bênçãos.


Que nossos corações estejam entrelaçados ao Coração de Cristo.


Roseane Huber de Souza e Álvaro Francisco de Souza.

Roseane Huber de Souza e Álvaro Francisco de Souza.

São Naturais da cidade de Guabiruba, SC
Leigos Dehonianos desde 2011.
Roseane é Professora de Língua Portuguesa e Língua Alemã
e Alvaro é Engenheiro Civil, Professor de física e matemática.
Eles fazem parte da equipe da coordenação dos Leigos Dehonianos.

Indique a um amigo
 

Copyright © 2022 Dehonianos. Todos os direitos reservados.