Dehonianos
Notícias da Igreja
 
Francisco: paremos para levantar aqueles que caem na escravidão das drogas
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Francisco: paremos para levantar aqueles que caem na escravidão das drogas

O abuso e o crescimento do uso de entorpecentes entre adolescentes e jovens e o aumento das vendas de drogas nas "praças digitais" da dark web estão causando um alarme cada vez maior, e o Papa confia sua preocupação a uma mensagem enviada aos participantes do 60º Congresso Internacional de Toxicologistas Forenses, que está sendo realizado em Roma de 27 a 31 de agosto, aos quais Francisco agradece pelo "compromisso, tempo e energia" dedicados à prevenção e ao combate à dependência de drogas.


O perigo das novas substâncias psicoativas


A delicadeza das fases da adolescência e da juventude, somada às fragilidades e inseguranças das sociedades atuais, são fatores - é a indicação de Francisco - que podem levar à busca de novas experiências. Medir-se com o inédito, explorar o desconhecido, o medo de se sentir excluído e a necessidade de se socializar com os coetâneos são elementos de risco, que podem induzir os jovens "a escolhas e comportamentos perigosos, como o uso de substâncias psicoativas e o abuso de álcool, ou à possibilidade de se deparar com situações extremas, tanto virtuais quanto reais". Na mensagem, o Pontífice aponta para o perigo das novas substâncias psicoativas (NPS) que, além de estarem em rápida expansão, são quimicamente fáceis de serem modificadas, tanto que permitem que o crime organizado escape do controle. "Muitos adolescentes - escrevendo ainda Francisco - abusam das NPS sem conhecer sua periculosidade", por isso é necessário desenvolver "técnicas de análise", implementar intervenções de prevenção e "incentivar planos terapêuticos adequados".


A obsessão com a eficiência e a produtividade


Outro ponto levantado pelo Papa em sua mensagem é a difusão de substâncias dopantes na esfera competitiva e esportiva, que "manifesta a obsessão de obter metas importantes e resultados a todo custo". Um fenômeno que deve nos fazer refletir, indica ainda Francisco, sobre a sociedade atual "permeada por uma cultura da eficiência e da produtividade, que não admite hesitações e fracassos". O desejo de estar à altura das expectativas, de dar a si mesmo uma imagem de desempenho e de vencedor, banindo a fragilidade e a fraqueza, torna-se, como adverte o Pontífice, "um obstáculo intransponível para a busca do desenvolvimento humano integral".


Ouvir o grito dos mais frágeis


O alarme é para a desorientação dos jovens que, em busca de pontos de referência, recorrem às drogas para conter a angústia e a falta de sentido, para superar o cansaço "de ser e de existir". Por trás dos vícios, lembra Francisco, existem "experiências concretas, histórias de solidão, desigualdade, exclusão, falta de integração", diante das quais "não podemos ser indiferentes", e seguindo o exemplo de proximidade oferecido por Jesus, "também nós somos chamados a agir, a parar diante de situações de fragilidade e dor, a saber ouvir o grito de solidão e de angústia, a inclinar-nos para levantar e trazer de volta à vida aqueles que caem na escravidão das drogas". Portanto, pede o Papa, devemos encorajar os jovens a "buscar razões para viver", por meio de percursos educativos, terapêuticos e de reabilitação e favorecendo modelos culturais alternativos.


Fonte: Vatican News

Indique a um amigo
 

Copyright © 2024 Dehonianos. Todos os direitos reservados.