Dehonianos
Notícias da Igreja
 
Hoje a Igreja celebra são Domingos Sávio, padroeiro das grávidas
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Hoje a Igreja celebra são Domingos Sávio, padroeiro das grávidas

Domingos Sávio nasceu na Itália em 1842. Desde muito pequeno desejou ser sacerdote e ao conhecer dom Bosco pediu para ingressar no Oratório de São Francisco de Sales, em Turim.


 


Ali organizou a Companhia de Maria Imaculada e com seus companheiros frequentava os sacramentos, rezava o terço, ajudava nos afazeres e cuidava dos meninos difíceis. Além disso, tinha um espírito muito alegre, gostava de brincar e estudar.


 


São João Bosco escreveu uma biografa do jovem santo e chorava cada vez que a leia. Nela contava que em várias ocasiões viu Domingos extasiado depois de receber a comunhão, até que certo dia dom Bosco o encontrou no coro do templo.


 


“Fui ver – conta dom Bosco – e encontrei Domingos que falava e depois calava, como à espera de uma resposta. Entre outras coisas ouvia claramente estas palavras: ‘Sim, meu Deus, já vos disse e vo-lo digo de novo: amo-vos e quero amar-vos até à morte. Se virdes que vos hei-de ofender, enviai-me a morte: sim, antes a morte que o pecado’”.


 


Quando dom Bosco lhe perguntou o que fazia nesses momentos, Domingos lhe respondeu: “Pobre de mim, vem-me uma distração, e naquele momento perco o fio das orações, e parece-me ver coisas tão belas que as horas fogem sem que eu dê por isso”.


 


Durante o processo de investigação para levar Domingos Sávio aos altares, sua irmã Teresa narrou que certa vez o santo se apresentou diante de dom Bosco e lhe pediu permissão para ir a sua casa. Seu formador lhe perguntou o motivo e o jovem respondeu: “Minha mãe está muito delicada e a Virgem quer curá-la”.


 


Dom Bosco perguntou de quem tinha recebido notícias e Domingos respondeu que de ninguém, mas que ele sabia. O sacerdote, que já conhecia seus dons, deu-lhe dinheiro para a viagem.


 


A mãe de Domingos estava grávida, mas sofrendo com fortes dores. Quando o jovem chegou para vê-la, abraçou-a fortemente, beijou-a e depois obedeceu sua mãe, que lhe tinha pedido que fosse com uns vizinhos.


 


Quando o médico chegou, viu que a senhora estava com a saúde recuperada e, enquanto os vizinhos a atendiam, viram em seu pescoço uma fita verde que estava unida a uma seda dobrada e costurada como um escapulário. A surpreendente visita de Domingos a sua mãe se deu em 12 de setembro de 1856, data do nascimento de sua irmã Catarina.


 


Tempo depois, Domingos disse à sua mãe que conservasse e emprestasse aquele escapulário às mulheres que necessitassem. Assim se fez e muitas afirmavam ter obtido graças de Deus com a ajuda do escapulário da Virgem.


 


Domingos Sávio retornou ao oratório salesiano, mas não por muito tempo. Ficou doente e, por sugestão dos médicos, teve que despedir-se de dom Bosco e de seus companheiros para voltar para sua casa. Antes de morrer, disse: “Que coisa tão formosa vejo!”. Partiu para a casa do Pai em 9 de março de 1857, aos 14 anos de idade.


 


 


 


Fonte: acidigital


Fotógrafo: Reprodução de imagem ilustrativa ACI Digital.


Indique a um amigo
 

Copyright © 2024 Dehonianos. Todos os direitos reservados.