Dehonianos
Notícias da Igreja
 
O Papa: jovens, sede profetas que sonham e anunciam um mundo não mais dividido
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
O Papa: jovens, sede profetas que sonham e anunciam um mundo não mais dividido

Nesta reunião da ROACO colocastes no centro as expectativas dos jovens das Igrejas Orientais. É uma escolha sábia: ouvir juntos, de suas bocas, os desejos que trazem em seus corações. Os jovens querem ser protagonistas do bem comum, que deve ser a "bússola" da ação social. Foi o que disse Francisco ao receber em audiência ao meio-dia desta quinta-feira, 22 de junho, na Sala Clementina, no Vaticano, os participantes da Plenária da Reunião das Obras de Ajuda às Igrejas Orientais (ROACO).


Queridos jovens aqui presentes, viveis em terras onde a restauração do bem comum é uma condição essencial para a sobrevivência. Sede sentinelas da paz para todos, profetas que sonham e anunciam um mundo diferente e não mais dividido!


Generosidade solidária, resposta concreta à injustiça e à dor


O Santo Padre havia iniciado seu discurso ressaltando que a generosidade solidária é muitas vezes a única resposta concreta à injustiça e à dor que oprimem tantos seres humanos, agradecendo aos presentes por se dedicarem a uma solidariedade proativa que ajuda a curar as feridas e é como uma carícia no rosto daqueles que sofrem. Uma carícia que restitui a esperança no tumulto dos conflitos.


O contraste com o plano de Deus é tremendo hoje: um plano de paz, fraternidade e concórdia para todos. Um projeto que nos convida a parar de lutar uns contra os outros e, em vez disso, unir forças para combater a fome e as doenças, destacou o Pontífice.


Rejeitar solidariedade exibida para fazer bonito e ser relevante


Na Exortação Apostólica Ecclesia in Medio Oriente, sobre a qual, dez anos após sua publicação, a ROACO organizou recentemente um grande encontro em Chipre, Bento XVI incentivou os jovens a "cultivar continuamente a verdadeira amizade com Jesus por meio do poder da oração", disse.


Para os cristãos, continuou o Santo Padre, essa é a principal fonte de ação: fé viva no Senhor que deu a vida pelos irmãos. Se começarmos daqui, do amor crucificado e ressuscitado, será mais fácil rejeitar não apenas os particularismos, mas também o triunfalismo, e rejeitar uma solidariedade exibida para fazer bonito e ser relevante. Sim, o coração transpassado de Deus nos liberta de uma caridade pensada como uma profissão, um cálculo de puro filantropismo, uma burocracia da bondade ou, pior ainda, uma rede de interesses políticos.


É a cruz que mostra aos jovens a autenticidade que procuram


É a cruz, o envolvimento supremo de Deus no sofrimento da humanidade, que mostra aos cristãos, especialmente aos jovens, a autenticidade que eles procuram, a coragem de dar testemunho, a força para superar o individualismo e a indiferença que estão na moda hoje em dia e para fazer a compaixão crescer. Com-paixão: uma palavra que está no centro de nossa fé, porque nos mostra o amor de Deus que se envolve totalmente no sofrimento humano.


Por fim, Francisco referiu-se à recente atuação da ROACO em contrastar situações de dificuldades e sofrimentos, agradecendo em seguida.


Proximidade de oração e de caridade ao povo ucraniano


Irmãos e irmãs da ROACO, vós vos envolveis no solo árido da dor para fazer brotar sementes de esperança. Penso em vossos esforços recentes para ajudar a curar as feridas do terremoto na Turquia e na Síria, em meio ao sofrimento diário de povos duramente provados. Espero que possamos realmente continuar a ajudar essas populações; muitas promessas foram feitas, mas ainda é difícil usar os sistemas bancários normais para enviar ajuda às vítimas.


Agradeço-vos pelo grande esforço para ajudar a Ucrânia a apoiar as pessoas deslocadas internamente e os refugiados. Há alguns anos, quis unir meus esforços a esse querido país com a iniciativa "O Papa pela Ucrânia" e depois com outras intervenções constantes. Mas também gostaria de aproveitar esta oportunidade para convidar a todos a não deixar faltar uma proximidade concreta, uma proximidade de oração e de caridade, ao atormentado povo ucraniano. Na Plenária que acaba de terminar, além da atenção habitual à Terra Santa e ao Oriente Médio, os senhores se concentraram em projetos de ajuda no Irã, na Turquia e na Eritreia. Que os enormes tesouros humanos e naturais que Deus concedeu a essas belas terras sejam valorizados e tragam um pouco de serenidade a seus habitantes.


Fonte: Vatican News

Indique a um amigo
 

Copyright © 2024 Dehonianos. Todos os direitos reservados.