Dehonianos
Notícias da Igreja
 
Papa Francisco: Quaresma nos convida a redescobrir o segredo da vida
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Papa Francisco: Quaresma nos convida a redescobrir o segredo da vida

Ao rezar a missa da Quarta-Feira de Cinzas no início da Quaresma de 2024, o papa Francisco disse que este tempo nos convida a redescobrir “o segredo da vida”: retornar a Deus de todo o coração, por meio da oração, do jejum e da esmola.


 


Na sua homilia em Santa Sabina, basílica situada no Monte Aventino, uma das sete colinas sobre as quais Roma foi construída, o papa Francisco disse que “as cinzas postas sobre a nossa cabeça convidam-nos a redescobrir o segredo da vida”.


 


“Dizem-nos: enquanto continuares a usar uma armadura que cobre o coração, a disfarçar-te com a máscara das aparências, a exibir uma luz artificial para te mostrares invencível, permanecerás árido e vazio”.


 


“Pelo contrário, quando tiveres a coragem de inclinar a cabeça para te olhares intimamente, então poderás descobrir a presença dum Deus que desde sempre te amou; finalmente despedaçar-seão as couraças de que te revestiste e poderás sentir-te amado com amor eterno”, disse o papa.


 


O papa Francisco disse também que “se arder, sob as cinzas que somos, o fogo do amor de Deus, descobriremos que somos empastados deste amor e chamados ao amor: amar os irmãos que nos rodeiam, estar atento aos outros, viver a compaixão, usar de misericórdia, partilhar aquilo que somos e temos com quem passa necessidade”.


 


Por isso, disse Francisco, “a esmola, a oração e o jejum não se podem reduzir a práticas exteriores, mas são caminhos que nos levam de volta ao coração, ao essencial da vida cristã”.


 


Quaresma: Tempo de voltar ao coração


O papa Francisco disse também que na Quaresma é Jesus quem convida cada fiel a entrar “no segredo” para “voltar ao coração”: “Trata-se dum percurso de fora para dentro, a fim de que todo o nosso viver, incluindo a nossa relação com Deus, não se reduza a exterioridade, a uma moldura sem quadro, a mero revestimento da alma, mas brote de dentro e corresponda aos movimentos do coração, isto é, aos nossos desejos, aos nossos pensamentos, ao nosso sentir, ao núcleo fontal da nossa pessoa”.


 


“Desse modo a Quaresma mergulha-nos num banho de purificação e despojamento: ajuda-nos a retirar toda a «maquiagem», tudo aquilo de que nos revestimos para brilhar, para aparecer melhores do que somos”, disse.


 


Francisco disse ainda que “Voltar ao coração significa tornar ao nosso verdadeiro eu e apresentá-lo diante de Deus tal como é, nu e sem disfarces. Significa olhar dentro de nós mesmos e tomar consciência daquilo que somos realmente, tirando as máscaras que muitas vezes utilizamos, diminuindo a corrida do nosso frenesim, abraçando a verdade de nós mesmos”.


 


Uma advertência do papa Francisco


Francisco alertou então contra a tendência atual de viver pensando em “ser notado”, na “necessidade” de “ser admirado e apreciado”.


 


“Sem nos dar conta, já não temos um lugar secreto onde parar e nos protegermos, imersos num mundo onde tudo, incluindo as mais íntimas emoções e sentimentos, se deve tornar «social». Mas como pode ser social aquilo que não brota do coração?”, perguntou ele.


 


“Mesmo as experiências mais trágicas e dolorosas correm o risco de não ter um lugar secreto que as guarde: tudo deve ser manifestado, ostentado, dado em pasto à coscuvilhice da hora. Por isso nos diz o Senhor: entra no segredo, volta ao centro de ti mesmo”, recomendou o papa Francisco.


 


Depois de exortar a ouvir a voz do Senhor, deixando espaço “para a oração silenciosa de adoração”, o papa incentivou finalmente a reconhecer-nos diante d’Ele “pelo que somos: pó amado por Deus; e, graças a Ele, renasceremos das cinzas do pecado para a vida nova em Jesus Cristo e no Espírito Santo”.


 


Fonte: acidigital


Indique a um amigo
 

Copyright © 2024 Dehonianos. Todos os direitos reservados.